domingo, 14 de novembro de 2010

POÇOS

A água de superfície e a agua subterrânea são os dois recursos para abastecimento de água.

A água subterrânea é usada há milénios pelo homem e encontra-se em praticamente todas as regiões do mundo alojada em poros, fendas e fissuras das rochas formando um reservatório natural de água potável e livre de impureza, contaminação bacteriológica e química. Estima-se que 97% da água potável do planeta esteja no subsolo. O aproveitamento destas águas é feito através da perfuração do solo num poço tubular profundo denominado Poço Artesiano.

Existem dois métodos básicos para a sua perfuração:
  • Pelo sistema rotativo - usado em solos sedimentos e rochas decompostas, sendo usado um fluido estabilizador para evitar desmoronamentos ou erosão das paredes.
  • Pelo sistema roto-percursivo - usado em rocha dura como o granito. Usa-se o ar comprimido, água e detergente neutro como fluido.

Tipos de poços
  • Poços em solo e sedimentos - perfurados através do método rotativo. Deve possuir diâmetros de parede mínimos de forma a acondicionar revestimentos, composto de filtros e tubos lisos, e pré-filtros. O pré-filtro é composto por um pedrisco seleccionado e instalado entre a parede do poço e tubulação de revestimento.  As entradas de água estão associadas às camadas mais permeáveis onde são instaladas as secções filtrantes.
  • Poços em rocha - São poços perfurados pelo sistema roto-percurssivo. A perfuração normalmente é feita em rochas duras e as entradas de água estão associadas a falhas, fracturas e fissuras pré-existentes e secundariamente em poros dos arenitos e conglomerados.
  • Poços mistos - Poços mistos agregam as características dos dois projectos anteriores.


Custos

Os custos envolvidos na construção de um poço tubular profundo são basicamente o os seguintes: taxa de mobilização e instalação do canteiro de obras, perfuração, revestimentos, testes de vazão, cimentação, análises bacteriológica e físico-química, desinfecção, equipamento de bombeamento e acessórios e, relatório hidrogeológico.

Alguns custos, como os relativos à perfuração e revestimentos devem ser entendidos como custos variáveis, pois dependem respectivamente da profundidade final do poço e da espessura da porção superficial do terreno (solo + manto de alteração) a ser estabilizada, cujas quantidades só podem ser definidas durante a execução da perfuração.

Da mesma forma, o conjunto moto-bomba e acessórios só poderão ser dimensionados após a execução do Teste de Vazão, onde serão definidos os parâmetros hidráulicos do poço como nível estático, nível dinâmico, vazão de exploração, rebaixamento e taxa de recuperação do aquífero.


Determinação do local de perfuração

A determinação do local de perfuração ou locação do poço tubular profundo é de responsabilidade do cliente, muito embora as empresas possa prestar assessoria através de seu corpo de Geólogos. Durante a locação do poço devem-se levar em consideração os seguintes aspectos: condições de acesso, dados sobre o uso actual e futuro da área da propriedade, disponibilidade de energia, distância do reservatório e necessidade de manutenções futuras.



Alguns métodos podem ser utilizados na locação do poço tubular profundo visando o sucesso e/ou a diminuição do risco geológico:

  • Método Geofísico - Métodos de locação baseados nos parâmetros físicos dos solos, dos sedimentos das rochas.
  • Caminhamento Eléctrico - Método baseado na aplicação de uma corrente no solo em malhas regulares e a recepção dessa corrente em sensores também dispostos nessa malha. Costuma ser eficiente até 100 metros de profundidade.
  • Magneto-Telúrico - Método baseado na aplicação de campos electromagnéticos com boa resolução até 500 metros de profundidade.
  • Método Geomorfológico - Método baseado na fisiologia do terreno quando é possível identificar através de interpretações estruturas acumuladoras ou impermeáveis.

Sem comentários: