domingo, 30 de dezembro de 2012

Casas verdes "Extreme": Elevar a habitação para o próximo nível

Casas Verdes: nem todas são para o nosso clima; estas casas levam o conceito "verde" ao extremo.


Alguns arquitetos, como Sean Griffiths, dizem coisas como "eu penso que paredes vivas se tornaram um substituto para ideias quando se fala sobre a recente utilização generalizada de plantas na arquitetura. Compreendamos que não se trata de arquitetura paisagística, mas sim um «eu vou me construir uma casa para mim» tipo de arquitetura. Isso pode ter a ver com o seu raciocínio muito óbvio e bem pensado como uma falta de consideração de como as plantas vão obter a sua luz, o peso nas paredes, e até mesmo como eles vão ressemear-se a si próprias! Griffiths faz um bom ponto, mas há um reverso neste uso incrível da natureza na arquitetura.



No outro lado do espectro reinam arquitetos da escola de pensamento extremo como Vo Trong Nghia baseado em Ho Chi Mign City, Vietnãm vencedor da Categoria Casa 2012, no World Architecture Festival para este conceito de ventilação natural, purificação de ar e redução de calor baseado na utilização de paredes verticais de plantas. Estas paredes não eram apenas bonitas e elegantes, mas também introduzem um elemento de purificação e de dependência reduzida em electricidade e recursos numa cidade conhecida por suas frequentes quebras de energia.








O plano de Vo Trong Nghnia era simples. Ele colocava paredes de plantas em prateleiras como plantadores nas paredes voltadas a norte e sul e em diferentes níveis, dependendo da estrutura de crescimento das plantas específicas, com uma quantidade fina de vidros de janelas (de forma a agir como uma espécie de terrário) e um poço que puxa o ar naturalmente purificado através do núcleo desta casa, que é tapado com ou telhado verde ou vivo. O telhado vivo também atua como um isolante de som natural e protetor dos elementos. Esta casa é um exemplo perfeito de uma arquitetura extrema que leva a sustentabilidade para um novo nível, perfeito para um clima húmido tropical!






Em Toronto, uma casa de campo leva o habitar uma casa viva numa outra direção. Esta casa não tem paredes vivas, mas um telhado vivo inteiro que isola e protege a casa quase como se a casa fosse construída como um bunker da década de 30. O design é como atomic-ranch met the Jetson’s e teve uma festa com o Brady Bunch, mas depois vieram alguns hipsters e suavizaram tudo. A casa não só foi construída numa colina e de certa forma fundida com a paisagem, mas também tem aquecimento e arrefecimento a partir da terra ou geo-térmico, o que torna esta casa ainda mais eficiente.



O arquitecto Ian MacDonald configurou as janelas "periscópio" com o conceito perfeito de ventilação cruzada em mente. Esta casa no Canadá está a milhares de quilómetros de distância e zonas climáticas da cidade de Ho Chi Minh, mas a idéia ainda é a mesma, utilizar as plantas para fazer uma casa mais isolada dos elementos e, logo, mais verde e energeticamente eficiente.

Sem comentários: